Canal Exclusive
Revista Online

17 de agosto: Dia do Pão de Queijo

por Redação | publicado em sexta, 17 de agosto de 2018


Forno de Minas produz 1,8 mil toneladas de pão de queijo por mês e exporta para 16 países

Dá vontade de comer todo dia. Sua história nos leva para as cozinhas mineiras do século XVIII. O cheirinho de quando está assando dá água na boca. E a primeira mordida comprova que toda a expectativa foi correspondida. Combina com tudo e vai bem em qualquer ocasião. Sim. Estamos falando do pão de queijo.

Com origem em Minas Gerais, a iguaria ultrapassou as barreiras geográficas e ganhou o mundo. No Brasil, é encontrado em todos os cantos e, independentemente da naturalidade, já é consumido com frequência. Para quem mora fora do país, tem gostinho de saudade. Para os estrangeiros, que nunca haviam experimentado, surpreende. Por sua importância na gastronomia e cultura, o pão de queijo ganhou um dia comemorativo: 17 de agosto – Dia do Pão de Queijo.

A Forno de Minas se orgulha de ter sido a primeira a comercializar pão de queijo congelado no mercado e participar do processo de torná-lo conhecido fora daqui. Então, sente-se guardiã do produto e deseja transformá-lo em global.

Nesse sentido, cada fornada é um motivo a mais para continuar produzindo o genuíno pão de queijo, seguindo à risca a receita da Dona Dalva, fundadora da empresa. O sabor e o respeito pela receita original da iguaria sempre foram premissas. Além, claro, de estar alinhado à segurança alimentar. Por isso, seguindo orientações da Anvisa, há mais de 20 anos, a empresa mineira desenvolveu o próprio queijo em seu laticínio, com a formulação e paladar ideais para a receita e o controle de todo o processo de produção da principal matéria-prima – desde a origem do leite até o produto final.

Segundo o CEO da Forno de Minas, Helder Mendonça, a qualidade e a tradição andam juntas. “Fazemos questão de utilizar queijo de verdade – nada de aroma –, produzido com todo o cuidado e sabor que os nossos clientes prezam e que o pão de queijo merece”, explica.

Atualmente, a indústria mineira produz 1.800 toneladas de pão de queijo por mês – o que corresponde a mais de 50 milhões de bolinhas – e já exporta para 16 países: Estados Unidos, Canadá, Portugal, Inglaterra, Chile, Peru, Uruguai, Emirados Árabes, Japão, Guatemala, El Salvador, Panamá, Costa Rica, Colômbia, China, Paraguai. O setor internacional é um dos que mais crescem na empresa, com metas de incremento de mais de 100% na receita da empresa até 2020.

História do Pão de Queijo

Ninguém sabe ao certo quando a iguaria surgiu. Histórias contam que a receita foi criada em Minas Gerais, em meados do século XVIII, desde a época da escravidão. A origem do encontro entre polvilho e queijo – dois dos principais ingredientes - é divergente. Alguns apostam que, nas fazendas, era rotineiro servir aos senhores (donos das terras) o pão com café. Entretanto, a má qualidade da farinha fez com que as cozinheiras a substituíssem pelo polvilho. Surgindo, assim, os primeiros pães de queijo, assados no fogão a lenha e preparados com os ingredientes produzidos nas próprias fazendas.

Mas essa não é a única versão da história... Há relatos de que, como só no século XX o trigo passou a ser cultivado em larga escala no Brasil, o derivado da mandioca (no caso, o polvilho), herança indígena, foi a opção encontrada.

Independentemente de onde tenha surgido, o que ninguém discorda é que a mistura de queijo, polvilho, leite, ovos, sal e manteiga, tornou-se um hábito de consumo irresistível. Além de dar origem a um produto inovador, versátil, saboroso e prático, que se destaca pela saudabilidade: é glúten free, não contém aditivo e é consumido assado.

O sabor, a qualidade e a agilidade no preparo são outros destaques, que permitem ser consumido em diversas ocasiões e maneiras. Quente ou frio; a qualquer momento, no café da manhã, no lanche da tarde, em festas e em coquetéis e com vários acompanhamentos ou recheios, frios, patês, sopas, geleias, café, vinho, refrigerante, suco, cerveja e chá.

Sobre a Forno de Minas:

A Forno de Minas nasceu do sucesso da receita caseira de pão de queijo da Dona Dalva. Com sede em Contagem (MG), foi fundada em 1990, e é gerida pela Dona Dalva, os filhos Helder e Hélida Mendonça e o sócio Vicente Camiloti. A companhia tem portfólio que atende o varejo e o food service – com linhas de fabricação de pão de queijo, panificados, massas frescas recheadas e lasanhas. A empresa possui também uma Indústria de Laticínios, que produz as matérias-primas para a fábrica e atua no mercado B2B de queijos. Atualmente, a Forno de Minas exporta para 15 países e conta com aproximadamente 1000 colaboradores, oito filiais no Brasil e uma subsidiária nos EUA.


Comentários

Mais lidas

Card image cap
Por que fazemos o que fazemos?

Ler matéria
Card image cap
Projeto Cidade do gás

Ler matéria
Card image cap
1ª corrida contra o câncer beneficia ONG que doa perucas para pacientes oncológicos

Ler matéria
Card image cap
Uma goleada do Vila da Copa

Ler matéria
Card image cap
Rede internacional de sorvetes Cold Stone Creamery inaugura loja em BH

Ler matéria