Belo Horizonte, 24/08/2019

Arte transforma o cenário de comunidade rural no norte de Minas Gerais

por Redação | publicado em terça, 25 de setembro de 2018



Projeto do artista plástico Wederson Moraes revitaliza 100% das casas do pequeno povoado de artesãos no Vale do Jetiquinhonha

O cenário da pequena comunidade rural de Pasmadinho, localizada na cidade de Itinga, no vale do Jequitinhonha, está sendo transformado pela arte de Wederson Moraes e de seus moradores. Com a ajuda da comunidade, especialmente das crianças e adolescentes, ele já revitalizou 60% das edificações do povoado. Até meados de outubro, 100% das casas de Pasmadinho estarão pintadas.

Localizada 644 km ao norte de Belo Horizonte, Pasmadinho é uma vila de artesãos que trabalham com cerâmica e madeira. Antes de iniciar esse projeto, Moraes, que é artista plástico, artesão e educador, desenvolvia um trabalho de pintura de edificações abandonadas, como a antiga sede da Copasa em Lagoa Santa, região metropolitana da capital mineira. Há cerca de três anos, ele abriu mão dos empregos formais, começou a viver da arte e tem transformado as paisagens por onde passa.

No ano passado, quando estava fazendo arte na Escandinávia, Moraes decidiu executar uma grande intervenção artística pública no Brasil, fazendo pinturas artísticas e subjetivas nas casas de uma vila inteira. “Queria impactar um lugar onde as pessoas não tivessem tanto acesso a programas culturais. Depois de muita pesquisa, achei Pasmadinho”, conta o artista.

Moraes tentou encontrar financiamento para o seu projeto, mas todos os esforços foram em vão. Mas ele não desistiu e resolveu pintar todas as edificações da comunidade de Pasmadinho usando recursos próprios e materiais alternativos. Da necessidade econômica surgiu um dos grandes diferenciais desse projeto. Todo o povoado está sendo pintado com tinta orgânica produzida pelos próprios moradores, usando a terra da região, que possui grande variedade de cores, cola branca e corantes.

Graças ao trabalho de Moraes, essa vila de artesãos da madeira e da cerâmica está deixando o anonimato para emergir no cenário artístico mundial. “Esse projeto tem por objetivo elevar o estado de ânimo da comunidade, promovendo a autoestima e a dignidade das pessoas, atraindo para o povoado um olhar que não seja sintomático, vinculado à pobreza e escassez da região”, explica o artista.

Para que o projeto pudesse ter 100% de cobertura, o envolvimento da comunidade foi essencial. “Nosso processo de produção é inclusivo. Eu elaboro os motivos a serem pintados a partir das histórias e ideais dos próprios moradores. Por isso, retratam a cultura local e a natureza da região. A partir disso, desenho nas paredes, as pessoas da comunidade pintam e eu só faço os arremates”, conta Moraes.

A pintura das casas está sendo feita sem qualquer patrocínio ou incentivo público ou privado. “Tudo está sendo financiado com recursos próprios e a ajuda de alguns amigos”, afirma o artista. Como o projeto inclui também a construção de uma pequena praça na comunidade, que terá bancos de concreto, uma escultura, um portal de madeira e paisagismo, a Prefeitura Municipal de Itinga está fornecendo esse material e apoio logístico.

Para conhecer mais sobre esse projeto, acesse os links abaixo.

https://g1.globo.com/fantastico/noticia/2018/09/23/artista-leva-cor-a-vila-de-artesaos-cinzenta-no-vale-do-jequitinhonha.ghtml

https://www.youtube.com/watch?v=c60ZwRMFCJw

http://wedersonmoraesartista.blogspot.com/

https://www.facebook.com/profile.php?id=100010009778737

Contato com Wederson Moraes: (31) 99550-4373.


Comentários