Belo Horizonte, 20/05/2019

Como pouco e não emagreço! O que há de errado comigo?

por Redação | publicado em quarta, 13 de março de 2019



Especialista explica porque algumas pessoas continuam engordando mesmo ao comer pouco.

Uma das queixas mais comuns recebidas nos consultórios médicos está relacionada a dificuldade que algumas pessoas têm em emagrecer mesmo comendo em pequenas quantidades. Para alguns, é um mistério continuar com o mesmo peso ou, até mesmo, ganhar uns quilos a mais durante a dieta. Mas você sabia que nem sempre a perda de peso está totalmente relacionada com a quantidade de alimentos ingeridos?

É fato que manter hábitos ruins de alimentação prejudica diversos aspectos na saúde. De acordo com o nutrólogo, Bruno Sander, especialista em cirurgia endoscópica e gastroenterologia, mesmo pessoas magras podem desenvolver doenças como diabetes, hipertensão, entre outros transtornos. “O problema é que a obesidade pode aumentar consideravelmente as chances de desenvolvimento dessas doenças, além de prejudicar o organismo de outras formas”.

Ele explica que, em alguns casos, o significado de comer pouco para os pacientes pode estar errado. “Muitas vezes perguntamos ao paciente: ‘para você o que significa comer pouco?’. É muito comum descobrirmos que o indivíduo come pouco, porém come mal. Alguns acham que consumir muitas calorias de uma vez e ficar longos períodos sem comer será suficiente para emagrecer. Em outros casos, também é comum percebemos que o paciente tirou diversos nutrientes importantes da rotina”, comentou o especialista.

Mas, o que cada pessoa deve ter em mente é que todos possuem um organismo e necessidades específicas no corpo. “Infelizmente, muitas dietas caseiras não levam isso em consideração. Além disso, o consumo de poucos nutrientes pode deixar o metabolismo mais lento e impedi-lo de queimar a gordura necessária”, destacou Sander. Outro ponto que deve ser levado em consideração é a genética. O nutrólogo explica que ela também está envolvida neste processo. “Algumas pessoas naturalmente possuem tendência a engordarem e isso não é um problema, desde que seja mantido hábitos saudáveis”.

Ansiedade e estresse

Antigamente, existia uma crença errônea de que pessoas consideradas estressadas ou muito ansiosas poderiam perder peso facilmente. O especialista acrescenta que essa questão é um mito. “Muitas vezes, tais problemas, na realidade, influenciam no consumo de alimentos ruins para a saúde. Dessa forma, pessoas que sofrem com esses transtornos podem ter uma tendência a perder peso com mais dificuldade”, destacou.

O que fazer?

O médico indica que o ideal é sempre procurar um profissional capacitado para avaliar o paciente como um todo. Tudo deve ser levado em consideração ao realizar um tratamento ou dieta de emagrecimento. O organismo, a rotina, os hábitos de exercícios e tudo que possa influenciar no sucesso do processo de emagrecimento. “Portanto, nada de tirar alimentos da rotina sem auxilio profissional ou conhecimento sobre seu corpo. Procure sempre um especialista!”, afirmou Bruno.

Fonte: Bruno Sander, médico cirurgião endoscopista, especialista em gastroenterologia e nutrologia. É diretor clínico do Hospital Dia Sander Medical Center, em Belo Horizonte (www.sandermedicalcenter.com.br).


Comentários

Mais lidas

Card image cap
Por que fazemos o que fazemos?

Ler matéria
Card image cap
Projeto Cidade do gás

Ler matéria
Card image cap
1ª corrida contra o câncer beneficia ONG que doa perucas para pacientes oncológicos

Ler matéria
Card image cap
Uma goleada do Vila da Copa

Ler matéria
Card image cap
Rede internacional de sorvetes Cold Stone Creamery inaugura loja em BH

Ler matéria