Belo Horizonte, 05/12/2019

Cuidados com a pele na hora de torcer

por Redação | publicado em terça, 26 de junho de 2018



Tintas faciais e sprays são bem-vindos na brincadeira, mas é preciso conhecer a composição dos produtos

Foto:Heliakim Jr.

Durante a Copa do Mundo, várias pessoas saem em busca de apetrechos em verde e amarelo para decorar carros, janelas ou compor o look. Bandeirinhas, roupas, acessórios e cornetas são alguns desses recursos que ganham o dia a dia das cidades, colorindo as ruas. O momento lembra um carnaval, e a euforia de alguns torcedores os levam a exercitar sua criatividade e a fazer algo diferente no visual. E, para entrar totalmente no clima do mundial, muitos deles optam por decorar o rosto e os cabelos com tintas e sprays, que são encontrados aos montes e em todas as cores nesta época do ano. Mas, em meio a tanta animação, é preciso ficar atento a algumas dicas importantes.

De acordo com o dermatologista Paulo Roberto Antônio Júnior, nenhuma tinta ou spray é totalmente confiável, e vários deles podem causar irritações na pele. O melhor, nesse caso, é escolher os menos tóxicos, que são solúveis em água. “Devemos evitar produtos compostos de toluenos e parabenos, que são substâncias derivadas do petróleo. Eles são cáusticos e podem causar intoxicações graves”, explica. O cuidado também se estende para a hora de remover a pintura. Ao contrário da cantora norte-americana Lady Gaga, que tira sua maquiagem com fita adesiva, o ideal é limpar as tintas faciais com água e sabão ou demaquilante a base de água, mas sem esfoliar a cútis em demasia.

Mesmo dividindo opiniões sobre seu visual na Copa, Neymar lançou moda entre a garotada. Vários meninos que querem copiar o craque estão descolorindo os fios, mas, muitas vezes, fazem isso dentro de casa e sem tomar as precauções necessárias. “É fundamental realizar um teste de sensibilidade em uma mecha para verificar o comportamento da pele e da fibra capilar. Importante também não deixar esses produtos agindo por muito tempo, pois eles causam queimaduras sérias na pele”, alerta o dermatologista. Ele acrescenta que os mais indicados são os shampoos colorantes, por serem mais leves, menos prejudiciais e com efeitos menos duradouros. Além disso, os cabelos devem ser condicionados e hidratados após o tingimento.

E engana-se quem pensa que pode dispensar o filtro solar por estar com o rosto coberto por tinta. O uso do protetor é imprescindível, principalmente pelos torcedores que gostam de assistir aos jogos em ambientes descobertos e, portanto, com maior exposição solar. Já para os pais que gostam de “emperequetar” os pequenos torcedores, o especialista deixa uma última dica: crianças só podem usar tintas faciais e sprays nos cabelos a partir dos seis anos de idade e apenas se os produtos forem hipoalergênicos e solúveis.


Comentários