Belo Horizonte, 18/08/2019

Escolas de educação infantil se adaptam para oferecer ensino bilíngue

por Redação | publicado em terça, 12 de março de 2019



Crianças e jovens hoje estão crescendo em um mundo totalmente pluricultural e interligado e o domínio de outras línguas, principalmente do inglês, idioma mais falado em todo o mundo, atualmente é essencial para que as novas gerações tenham acesso a todas as oportunidades. Preocupados em proporcionar aos filhos uma educação alinhada com esse cenário globalizado, os pais vêm buscando matricular os pequenos em escolas bilíngues cada vez mais cedo. Afinal, começar o quanto antes é importante, já que até os 10 anos a criança está na melhor fase para aquisição de línguas no que diz respeito ao desenvolvimento cognitivo.

Nessa tendência, o setor educacional privado passa por uma transformação para atender às atuais demandas do mercado, oferecendo uma educação bilíngue e inserindo o idioma no dia a dia do estudante desde os seus primeiros anos de vida. É o caso da Trilha da Criança Centro Educacional, que atende crianças de 0 a 5 anos, na educação infantil. A escola iniciou a implantação do programa bilíngue em 2018, depois de uma extensa pesquisa para avaliação da metodologia que mais se adequava à sua proposta pedagógica.

Desenvolvimento integral

Ana Paula de Rezende Bartolomeo, diretora da Trilha da Criança, afirma que o aprendizado de um segundo idioma traz benefícios não só do ponto de vista da comunicação, mas para o desenvolvimento integral das crianças. “O aprendizado de uma segunda língua, assim como de outras competências, é essencial para ajudar o aluno a lidar e se preparar integralmente para os desafios diários. Mas é importante que se tenha em mente que o ensino deve ser aplicado de maneira contextualizada, lúdica e na rotina da criança. Assim, as crianças vivenciam e experimentam a língua estrangeira, aprendendo com mais naturalidade”, afirma Ana Paula.

Diferentemente dos programas tradicionais de ensino de idiomas, a educação bilíngue usa a língua adicional como meio de instrução e não apenas como mais uma disciplina na grade curricular. Pesquisadores afirmam que os ganhos da experiência bilíngue na primeira infância se perpetuam ao longo da vida. De acordo com o estudo de Ellen Bialystok (Universidade York de Toronto, 2003), os bilíngues demonstram maior atividade neuronal relacionada às funções executivas, indispensáveis para o aprendizado.

A professora bilíngue e consultora em escolas internacionais Luíza Lanari explica que o cérebro humano é capaz de aprender diversos idiomas e armazená-los de forma que cada um seja acessado independentemente quando estimulado. “O ensino do idioma sem se preocupar com os mecanismos linguísticos confere um aprendizado natural ao aproximar a língua da vivência diária. Assim, a criança tem mais facilidade de aprendizado, pois seu cérebro se adapta às rotinas em inglês e em português. Observamos que, dessa forma, o aprendizado acontece de forma muito parecida com a assimilação da língua materna”, esclarece Luiza.

Aprendizado natural

A família de Antônia Zampier Daguer, 4 anos, viajou de férias com a família para os Estados Unidos, no fim de 2018. Quando seu pai, Luís Daguer, percebeu a desenvoltura da pequena ao se comunicar em inglês com os primos que moram em Nova York, teve a certeza de que tinha acertado ao acreditar no Programa Bilíngue. “Nosso maior medo era de que fosse feita de forma aleatória. Mas, depois vimos que a língua inglesa seria inserida de maneira significativa e contextualizada ao ensino e ficamos mais tranquilos.”

Para Rachel Magalhães, mãe do Vicente Magalhães Mandacaru, 3 anos, a implantação do ensino bilíngue trouxe ganhos ao processo de aprendizagem e ao seu desenvolvimento cognitivo. “Quando perguntamos alguma coisa em inglês, o Vicente responde de forma muito natural e sem pensar, sempre muito empolgado por saber falar. O vocabulário e a pronúncia dele estão cada vez melhores, em inglês e em português”, afirma Rachel.

Janaína de Castro, mãe do Gael de Castro Mendes, 4 anos, precisou desenvolver melhor o inglês para se relacionar no trabalho. “Tive muita dificuldade no início e até hoje fico traduzindo mentalmente na hora de falar. Para mim, quanto mais contato ele tiver com o inglês nessa idade melhor, porque as crianças têm muito mais facilidade de aprender uma segunda língua do que os adultos”.


Comentários