Belo Horizonte, 18/08/2019

Mito ou verdade: permanecer em jejum por muito tempo emagrece?

por Redação | publicado em quinta, 21 de fevereiro de 2019



Especialista comenta os riscos dessa prática.

A vontade de se sentir bem com o próprio corpo faz muita gente procurar diversos métodos de emagrecimento. Alguns são realmente eficazes e comprovados pelos especialistas. Em contrapartida, é comum surgir novos métodos que podem ser prejudiciais à saúde. Um que causa muita dúvida nesse quesito é o jejum intermitente.

Tal procedimento consiste em ficar horas sem comer para auxiliar na perda de peso. Mas será que este hábito funciona? O nutrólogo Bruno Sander, especialista em cirurgia endoscópica e gastroenterologia, explica que, quando aplicado da maneira correta e com acompanhamento médico, o jejum pode ajudar, mas é necessário cautela. “O principal erro é manter-se de jejum por conta própria. É extremamente necessário passar por avaliação antes. Nem todo organismo suporta esse tipo de comportamento, além disso, alguns nutrientes devem ser consumidos em maior quantidade e nos horários corretos”.

Riscos

Sander esclarece que entre os principais riscos de quem se mantem em jejum por longos períodos está a queda de insulina que pode ocasionar a diabetes tipo 1 e 2. Outro problema recorrente é a falta de energia que provoca tonteira, tremores, entre outros transtornos.

O especialista acrescenta que uma dieta mal elaborada provoca a perda de nutrientes importantes. Dessa forma, o indivíduo pode desenvolver também a anemia. “Exatamente por conter tantos problemas, não recomendamos esse tipo de tratamento. Existem diversas outras maneiras mais eficazes de perder peso sem correr o risco de afetar a saúde. Mas, para quem insiste nessa alternativa, deve-se obter acompanhamento com um profissional habilitado”, destacou Bruno.

Fonte: Bruno Sander, médico cirurgião endoscopista, especialista em gastroenterologia e nutrologia. É diretor clínico do Hospital Dia Sander Medical Center, em Belo Horizonte (www.sandermedicalcenter.com.br).


Comentários