Belo Horizonte, 22/09/2019

Quem disse que chocolate não pode ser o prato principal?

por Redação | publicado em sexta, 29 de março de 2019



Chefs de BH sugerem pratos para compor almoço de domingo de Páscoa feitos com o doce que é paixão nacional dos brasileiros. Entre as opções, risoto à barriga de porco com molho de chocolate meio amargo

O consumo de chocolate no Brasil ainda é tímido, se comparado à grandes potências como Alemanha, Bélgica e Suíça. Por aqui, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab), cada pessoa consome, em média, 2,4 kg por ano, o que deixa o país na 22ª posição dos mais chocólatras do mundo [A Alemanha lidera o ranking com um consumo, por pessoa, de 11,1 kg anuais]. Mas isso não significa que esse doce é desprestigiado em solo tupiniquim. Na Páscoa, principalmente, ele se torna o grande protagonista, incrementando o faturamento de grandes redes de varejo. Só para se ter uma ideia, o Brasil é o país que mais lançou produtos feitos de chocolate para a Páscoa de 2018, com 11% do total dos lançamentos globais, conforme levantamento de uma consultoria britânica.

E engana-se quem pensa que essa paixão nacional aparece na mesa apenas na hora das sobremesas. Chefs de alguns restaurantes renomados de Belo Horizonte sugerem que o chocolate pode ser também o prato principal no domingo de Páscoa.

É o caso do Maurizio Gallo, proprietário do restaurante de mesmo nome, com unidades nos bairros de Lourdes e São Pedro. Para os chocólatras de plantão que quiserem um almoço diferenciado em 21 de abril, o chef italiano indica um risoto de chocolate com morango. O prato é feito com arroz arbóreo ou parboilizado, 30g de chocolate em pó (70% amargo) e 100g de morango. “O cacau é absorvido no caldo do preparo do risoto. Já o morango entra em pequenos pedaços, explica Maurizio. Outra opção é trocar a fruta vermelha por iogurte. “Tudo vai depender das preferências do consumidor”, completa.

O único conselho que Gallo dá para quem, assim como ele, quer se aventurar na elaboração deste prato um tanto quanto inusitado, é não exagerar nas doses dos ingredientes. “O ideal é que o prato seja agridoce, com equilíbrio de sabores. O excesso pode comprometer o paladar”, explica.

Quem também sugere um prato principal com chocolate é o chef Vitor Pacheco, do La Vinicola Wine Bar, no Lourdes. Segundo ele, para quem quiser não só trazer o doce para a mesa do almoço como também aproveitar o domingo de Páscoa para explorar a culinária de outro país, a dica é preparar o mole poblano (frango ao molho de chocolate amargo e pimenta). Esta iguaria é uma das mais representativas do México, cujo molho, rico e exótico, leva mais de 20 ingredientes. “Geralmente uso peito de frango em escalopes, uma cebola média picada, alho picado, pimentão, amendoim, pimenta dedo de moça, sal a gosto e 200g de cacau 70% amargo”, explica.

Além de ser colocado sobre o frango, Vitor afirma que o molho pode ser presença garantida também no peru, carne de pato ou até em camarões. “O chocolate entra quase na finalização, após ser derretido e misturado aos demais ingredientes. O único cuidado na hora de derreter o cacau é ficar atento ao ponto de saturação, que geralmente é baixo e, portanto, não deve ser cozido sob altas temperaturas. Seguida essa recomendação o prato fica bem agridoce”, diz. Para harmonizar, Pacheco sugere vinhos tintos, de notas mais acentuadas.

Já o chef Djalma Victor, do OssO Mind The Bones, que sempre procura usar os cinco elementos em seus pratos (doce, seco, amargo, salgado e ácido), revela que um molho roti de chocolate meio amargo [15g de cacau 65% é a quantidade ideal no preparo] pode acompanhar perfeitamente carnes como carré, jarré, cordeiro, barriga de porco e fraldinha. “É um molho bem versátil. O cacau chega para ser o elemento amargo, desde que não entre em conflito com outro ingrediente de mesmo sabor”, explica acrescentando que o tempo de preparo do molho é de, no máximo, uma hora e que as carnes podem ser feitas, inclusive, na parrila.

Serviço

La Vinicola Wine Bar

Rua São Paulo, 1815 – Lourdes

Telefone: (31) 3889-0098

Maurizio Gallo

Rua dos Aimorés, 2305 – Lourdes

Telefone: (31) 2514-3020

Av. Nossa Senhora do Carmo, 860 – São Pedro

Telefone: (31) 2555-5432

Osso Mind The Bones

Rua São Paulo, 1984 – Lourdes

Telefone: (31) 3292-8235

Rodovia MG 030, Rod. Januário Carneiro, 8625 - Vale do Sereno, Nova Lima

Telefone: (31) 3694- 2731


Comentários