Belo Horizonte, 13/11/2019

Refluxo atinge cerca de metade dos brasileiros, diz pesquisa

por Redação | publicado em quinta, 17 de janeiro de 2019



Conheça os sintomas e os riscos da automedicação

O consumo exacerbado de certos alimentos, alguns remédios e, até mesmo, outras doenças podem ser a causa de um problema que acomete uma grande parcela da população. Aquela sensação de que algo está preso na garganta, queimação, azia, entre outros, são apenas alguns dos sintomas do refluxo. De acordo com uma pesquisa realizada pela Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG), mais de 50% dos brasileiros já sofrem com o transtorno.

Porém, atualmente, um dos principais problemas relacionados ao refluxo é o fato de muitos confundirem os sintomas como resultados da má digestão. O cirurgião endoscópico e gastroenterologista, Bruno Sander, alerta que essa confusão pode ser prejudicial. "É muito comum os pacientes que sofrem de má digestão se automedicarem. O problema, é que os tratamentos para tais doenças são diferentes. Ao ingerir medicamentos por conta própria, como sais de fruta, por exemplo, o paciente corre o risco de piorar o quadro de refluxo”.

Por esse motivo, ao sentir qualquer incômodo, o indivíduo deve procurar um especialista para avaliar o caso e indicar o procedimento adequado. “O ideal é começar o tratamento ainda no início. Dessa maneira, evitamos que o quadro evolua e piore afetando, consideravelmente, a qualidade de vida do indivíduo”, garantiu Sander.

Fatores de risco

Ainda de acordo com o estudo realizado pela FGB, alguns grupos possuem mais predisposição para desenvolverem o transtorno. As mulheres, principalmente aquelas que já estiveram ou estão grávidas, são mais atingidas que os homens. Asmáticos e diabéticos também estão presentes em tal grupo. Além disso, hábitos como tabagismo e sedentarismo podem piorar os sintomas.

O médico ainda ressalta que o consumo exagerado de alimentos como chocolate, frituras, pimenta, café e bebidas alcoólicas também podem contribuir para o quadro.

Fonte: Bruno Sander, médico cirurgião endoscopista, especialista em gastroenterologia e nutrologia. É diretor clínico do hospital dia Sander Medical Center, em Belo Horizonte (www.sandermedicalcenter.com.br).


Comentários